Fale com a Dra. Mônica

Adolescentes e a preocupação com a estética bucal 

A adolescência é uma época da vida com várias transformações, dúvidas e descobertas. E como qualquer fase da vida, a confiança e autoestima precisam estar equilibradas, no caso dos adolescentes, há uma certa preocupação com a aparência, principalmente devido a aceitação em grupos sociais.      

Desse modo, é mais comum que o dentista seja procurado com foco na estética do que na  prevenção de doenças bucais. Contudo, vale destacar o quanto é importante que o paciente procure o profissional com o objetivo de prevenir problemas, já que nessa fase da vida o adolescente têm mais autonomia para se cuidar e ter um estilo de vida mais saudável.

Além do mais, é importante considerar que se o indivíduo está em conflito e  desenvolvimento, várias alterações podem estar ocorrendo, e o profissional tem que fazer o acompanhamento — sem moralismos e julgamentos, especialmente se o paciente já faz tratamento desde a infância.     

Frente a isso, é fundamental estabelecer uma linguagem amigável, com assuntos que  interessem a eles, fazendo com que as consultas sejam mais prazerosas. Desta forma, é importante que o dentista trabalhe como profissional da saúde e educador simultaneamente. 

 

Alimentação e estilo de vida

Segundo Bussadori, (2012, p.39) tendo em vista que os hábitos tendem seguir padrões culturais e socioeconômicos, recentes estudos têm demonstrado a relação entre qualidade  de vida e saúde bucal, através dos aspectos de comportamento dos jovens, como atividade  física, dieta alimentar, higiene bucal, hábito de fumar e consumo de bebidas alcóolicas.

Conforme já mencionei em outro post aqui no blog, sobre hábitos alimentares na adolescência, o hábito de fumar e ingerir bebidas alcoólicas tende a provocar a redução dos  níveis séricos de vitamina C, aumentando a vulnerabilidade ao câncer bucal, de laringe e  esôfago. 

O consumo excessivo de refrigerantes e salgadinhos entre as refeições deixa o adolescente mais suscetível a desenvolver lesões de cárie. Então, para saber qual a forma mais saudável de se alimentar nessa fase, confira o post que preparei sobre os hábitos alimentares.   

Enfim, a mensagem que desejo transmitir é que o adolescente deve se preocupar primeiro em manter a saúde bucal, e como consequência, o tratamento para a parte estética.     

Na clínica, não é o paciente que tem que se adequar ao profissional — procurando um outro  dentista para seguir um tratamento —, mas sim, o profissional que precisa ajustar a sua conduta transformando um atendimento de Odontopediatria em Odontohebiatria.  

Ficou com alguma dúvida? Deixe o seu comentário. Compartilhe este post, assim poderá  ajudar outras pessoas com essas informações.    

BUSSADORI, Sandra kalil; MASUDA, Milton. Manual de Odontohebiatria. 2 Ed. São Paulo:  Santos, 2012.     

Resp. Tec. Dra. Mônica Savariz | CRO SC 4758  
Rua da Praça, 241 Ed. Office Green sala 612 Pedra Branca - Palhoça 
Telefone: 48 3283-0354 | WhatsApp neste link https://bit.ly/2Ly9SAR 

Voltar

Comentários

Indicações da Dra. Mônica

Essekabe - Desenvolvimento Profissional Odonto Clínica Mônica Digital Face