Fale com a Dra. Mônica

Afta: o que é, quais os tipos, causas e tratamento

Se tem uma coisa que incomoda é quando surge uma afta, não é? Muitas vezes nem conseguimos nos alimentar, ou até mesmo, falar direito por conta do desconforto. Mas saiba que você pode estar passando por alguma situação — mencionada no post — que está causando essa ferida. 

A seguir vamos falar sobre o que é Afta, quais os tipos, causas e tratamento. 

Afta

A Afta ou estomatite aftosa recorrente, é uma das lesões orais mais frequentes na população. Apesar de sua etiologia não ser clara, acredita-se que fatores genéticos podem estar envolvidos. 

Normalmente, a lesão ocorre na língua, palato mole e parte interna dos lábios e bochechas. É pouco provável que lesione a gengiva e a parte externa dos lábios. Lembrando que ela não é contagiosa.

Tipos

Clinicamente, a estomatite aftosa pode se manifestar de três formas:

  1. Estomatite aftosa menor: é a mais comum, atinge 85% das pessoas com afta. Sua lesão é menor que 1 centímetro de diâmetro e cicatriza em uma semana;
  2. Estomatite aftosa maior: essa é maior e mais profunda, de modo geral, leva duas semanas ou mais para cicatrizar;
  3. Estomatite aftosa herpetiforme: é mais incomum, surge de forma múltipla e geralmente se junta para formar lesões maiores que duram cerca de duas semanas.

Causas

A lesão pode aparecer quando a pessoa está com baixa imunidade, seja devido alguma doença, uso de medicamentos, falta de vitaminas, entre outros. Vejamos algumas situações que a Afta pode surgir: 

  • quando uma prótese dentária não está adaptada corretamente;
  • o aparelho ortodôntico está machucando;
  • mordidas nas bochechas;
  • mamadeiras com bicos duros ou longos;
  • reações alérgicas a medicamentos ou alimentos;
  • uso excessivo de álcool e tabaco;
  • estresse emocional;
  • histórico familiar. 

Tratamento

“O tratamento tem 4 objetivos principais: (1) promover a regressão da lesão; (2) diminuir a dor que gera morbidez e melhorar a função local; (3) auxiliar na ingestão de alimentos e líquidos ( nutricional); (4) prevenir ou controlar a doença”. ( BUSSADORI K. S; MASUDA S. M. Manual de Odontohebiatria. 2ª edição. São Paulo: Santos, 2012, p. 123) 

Contudo, não há um método específico para combater a afta, e estratégias de tratamento dependem de sintomas, duração e severidade. Por exemplo, quando se tem pouca recorrência no ano e a duração vai até 10 dias, opta-se por tratar com medicamentos que o dentista pode prescrever. 

Agora, se há episódios recorrentes por mês ou as aftas estiverem maiores, se tiver dor forte, dificuldade para se alimentar, neste caso é preciso ir ao dentista com urgência para que o profissional possa avaliar um tratamento sistêmico. 

Dica importante: não faça automedicação, pois você pode pensar que está com uma afta e a lesão pode estar relacionada a uma doença. Então procure o seu dentista. 

O que acha de ajudar outras pessoas repassando essas informações? Compartilhe na sua rede social. 

Resp. Tec. Dra. Mônica Savariz | CRO SC 4758 
Unidade Pedra Branca (48)3283-0354 | WhatsApp: (48)99164-7898
Acesse o Whatsapp neste link https://bit.ly/2Ly9SAR 
Unidade São Lucas (48) 3242-9420 |  (48) 3033-5101 |  WhatsApp: (48) 99136-7399 | (48) 99146-4763

 

 

Voltar

Comentários

Indicações da Dra. Mônica

Essekabe - Desenvolvimento Profissional Odonto Clínica Mônica Digital Face