Fale com a Dra. Mônica

Chupeta e mamadeira: confira as possíveis consequências e dicas para a remoção

A nossa boca é um sistema complexo, composto de músculos, dentes, língua e ossos. Amamentar de forma natural até os 6 meses nos oferece o estímulo de formação óssea adequada. 

No entanto, se não for possível realizar a amamentação, é fundamental encontrar a mamadeira ideal, por exemplo,  — ter bico anatômico e compatível com a idade da criança, orifício pequeno para a saída do leite e realizar a troca regularmente para manter o bico sempre firme. 

Após os 6 meses, é recomendado que seja introduzida as papinhas salgadas, frutas e, consequentemente, o peito ou a mamadeira aos poucos devem ser trocados pelo copo de transição. 

É claro que o ideal é que a criança tenha amamentação pelo peito materno, mas sabemos que esse processo muitas vezes é difícil. Então a mãe precisa ser paciente, ter orientação de profissionais e, muito importante, apoio da família. 

Uma situação que geralmente acontece é a criança chorar e a mãe introduzir a chupeta para acalmar. Realmente, o movimento de sucção da chupeta acalma, contudo, esse movimento que deveria ser nutritivo por meio do peito materno, acaba sendo artificial e sem alimentação. 

Posteriormente, por volta dos 6 ou 7 meses, ocorre outra situação, os dentes começam a nascer, esse é o momento que a criança procura algo para aliviar a coceira. Então é fundamental estar atento e usar mordedores macios para facilitar esse processo e impedir que o bebê comece a usar a chupeta ou o dedo. 

O hábito de usar mamadeira, chupar o dedo ou chupeta, se mantido por longo tempo, pode ter alterações importantes na respiração, fala, deglutição, posição dos dentes e mastigação. 

Com relação às alterações dentais, vale destacar que a posição da chupeta, mamadeira ou dedo influencia na posição dos dentes da frente, os quais ficam mais abertos, — chamado de mordida aberta anterior. 

Do mesmo modo, outra consequência é a inclinação dos dentes para frente, e/ou muito espaço entre os dentes. Além disso, os dentes de trás podem se inclinar para dentro — mordida cruzada posterior — e não conseguem morder corretamente com os dentes inferiores. 

Por outro lado, se a criança tiver mordida aberta, ela vai respirar mais pela boca — onde o ar entra mais gelado, podendo causar alergias, infecções da garganta e resfriados. 

A partir do momento que é introduzido os alimentos, os dentes começam a cortar e mastigar, dessa forma ajudam a desenvolver os ossos da boca, possibilitando que a língua também se posicione corretamente, ajudando na fala e deglutição. 

 

Dicas para remover o hábito de usar a chupeta

  1. não deixar a chupeta sempre disponível;
  2. remover logo após a criança dormir;
  3. após os 7 meses, o hábito de sucção não é tão fisiológico, assim fica mais fácil introduzir o copo;
  4. nesse mesmo período, o bebê já tem curiosidade com relação ao sabor e textura dos alimentos, é bom aproveitar essa oportunidade; 
  5. se a criança for maior, os pais podem fazer uma troca, algo que a criança queira muito, mas os pais precisam se manter firme com a decisão da remoção da chupeta.

Vale lembrar que após a remoção da chupeta é importante visitar o Odontopediatra para acompanhamento.
Confira o post que preparamos com carinho sobre Odontologia para bebês.  

Espero que tenha gostado das dicas. 

Ficou com alguma dúvida? Deixe o seu comentário. Compartilhe este post, assim poderá ajudar outras pessoas com essas informações.

Resp. Tec. Dra. Mônica Savariz | CRO SC 4758
Rua da Praça, 241 Ed. Office Green sala 612 Pedra Branca - Palhoça
Telefone: 48 3283-0354 | WhatsApp neste link https://bit.ly/2Ly9SAR 

Fonte: Mariana Perini Zendron | CRO SC 16.792
Graduação Odontologia – UFSC

Voltar

Comentários

Indicações da Dra. Mônica

Essekabe - Desenvolvimento Profissional Odonto Clínica Mônica Digital Face